/n/ - Notícias

Notícias & Acontecimentos 📰


Nova Resposta
Nome
×
Opção
Mensagem
Ficheiros Máx 4100MB total
Password
[Nova Resposta]


Regras do /n/


9ae39c1660cb34b6cbb1(...).png
[Esconder] (434.4KB, 980x550)
https://observador.pt/2022/11/23/pj-detem-40-pessoas-por-suspeita-de-trafico-humano-de-centenas-de-imigrantes-no-alentejo/
>PJ detém 40 pessoas por suspeita de tráfico humano em rede que explorava centenas de imigrantes no Alentejo
>PJ desfez uma rede de tráfico humano sediada em Beja que escravizava centenas de pessoas em campos agrícolas no Alentejo. Solicitadora criava documentos falsos e fazia contratos com empresas fantasma.

Será que foi o mundial do Qatar que fez este país ganhar alguma vergonha na cara e começar a fazer algo sobre os escravos que cá temos? E isto deve ser só uma gota no oceano....
Respostas: >>10606
Isso já estava a ser investigado a algum tempo portanto não foi o recente mediatismo em volta do Qatar
é, tá bem, os portugueses andam muito chocados com essas coisas agora
perguntem aos trabalhadores que entidades ligadas ao estado português contratam em outros países para por exemplo implementar coisas com dinheiro da união europeia se gostam de trabalhar para portugueses ou se preferiam trabalhar para os espanhóis, etc e porquê
é um segredo aberto em angola que trabalhar para portugueses é uma merda e mal surja a oportunidade de trabalhar para outros estrangeiros quaisquer é bazar
já vi coisas de projetos de milhões de euros em que os portugueses pagavam a locais uns 100-200 euros por mês enquanto que franceses ou espanhóis, etc pagavam 2000, e o dinheiro nem sequer vinha de Portugal mas a gestão portuguesa garantia que todos os locais recebiam o minimo possível
Editado por Escondido
Respostas: >>10601
>>10600
>é um segredo aberto em angola
é trabalhar para eles e com eles, o mesmo se aplica na europa.
eu estive na suiça há muitos anos a fazer quartos e os chibos dos patrões eram sempre os portugueses velhos que lá viviam.
que depois se punham contigo a beber copos e a dizer ei pá estes cabrões dos chefes hã? e lhes iam meter tudo no cu no dia seguinte.

até em portugal trabalhar para portugueses é uma merda.
andavam os politos todos aziados com os espanhóis e muh identidade portucalense, mas um caixa do merdadona ganha quase o mesmo que um junior de consultices e faz o mesmo trabalho que os escravoletos do pingo doce e do continente.
Respostas: >>10607
>>10597 (OP) 
> E isto deve ser só uma gota no oceano....
E é, tens muita mais trafulhice nestes setores que adoram imigrantes. Tudo deste coisas ilegais até outras que são parcialmente legais onde o trabalhador simplesmente é enganado e explorada a sua burrice/falta de incompreensão da língua para beneficio do negocio. Até tens restaurantes e tascas que contratam zucas ilegalmente a pagar quase nada e depois darem com as botas neles quando chega o senhor da inspeção.
>>10601
>mas um caixa do merdadona ganha quase o mesmo que um junior de consultices e faz o mesmo trabalho que os escravoletos do pingo doce e do continente
Isso nem é tanto problema de portugueses ou de patrões mas um problema institucional em si. Tens todos os jovens a levar gás luz para correr para a faculdade tirar cursos meme e perder 3 ou 5 anos da vida para no fim receberes pouco mais que um caixa e valeres menos que um trolha com formação em mexer numa empilhadora. Essa gente que fez a faculdade e sabe só bater meia duzia de linhas no VScode pensa que vale muito mas só uma percentagem pequena é que sabe mesmo aquilo que faz e tem valor em talento.
Estamos a falar de um problema de identidade e funcionalidade das faculdades que de facto já pouco servem para investigação e académicos e mais para formar trabalhadores mal formados, sem experiencia, onde 90% do que aprendem não lhes serve para nada.
[Nova Resposta]
5 respostas | 1 ficheiro | 5 UIDs
A ligar...
Denunciar/Moderar

Acões:

Captcha:

Onde estão os animais?
• Notícias • Regras • FAQ • Stream • Doar •

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.