/cyb/ - Cyberia

Tecnologia, computadores, programação e loucura


Nova Resposta
Nome
×
Opção
Assunto
Mensagem
Ficheiros 🖌️ Máx 4100MB total
Password
Especial
[Nova Resposta]


>>/sobre/ >>/css/


cda3652c5bff12b4a877(...).jpg
[Esconder] (123KB, 539x470)
Quale é gaget (ou outra cena tech que tal) é que vocezes adquiririam caso possui-cem uma quantia avultada de dinheiros?
cumpas
33beacbb4640b99be7db(...).png
[Esconder] (327.5KB, 500x356)
>pica relatada
Respostas: >>7374
>>7371
ja tive todos esses dell da pica relatada e mais alguns. Absoluto lixo que antigamente era bom para empresas por causa do suporte e hoje em dia nem isso
Respostas: >>7375
>>7374
Ensina-me a comprar estações de trabalho baratas, mestre dos dells.
Respostas: >>7379
>>7375
Eu inventariava os assets e mandava a lista para a contabilidade mandar às finanças. Isso era controlado para evitar as pessoas de comprarem coisas pela empresa com impostos mais baixo e fazer uso pessoal, mas havia sempre uma margem e então como eram centenas de computadores, se houvesse uns 3% desaparecidos ninguém se iria chatear até porque há sempre cenas que desaparecem, são roubadas, peças aproveitadas de uns para os outros, etc. No limite sacava peças de 3 computadores para montar um 4º e mandava os 3 para abate.
Nem me dava ao trabalho de desviar, eram computadores merdosos quando foram comprados e então vários anos depois eram piores ainda. Odiava ter de usar aquele lixo no dia-a-dia, não ia levar aquilo para casa para sentir ódio em casa também. Se tiveres algum conhecido que trabalhe no IT dalguma empresa +- grande, essas empresas estão constantemente a renovar o parque informático porque ao fim de 3 ou 4 anos o imobilizado entra em depreciação completa e tem de ser renovado. Isso ou vai para o lixo ou é vendido a um preço baixo aos trabalhadores, se tiveres alguém dentro de certeza que consegue sacar.
Mas sinceramente não consigo compreender o tesão do /g/ pelos Dell, usei-os durante mais de uma década e não tenho muito de bom a dizer: Os computadores eram overpriced para as specs, eram postos em caixas com encaixes proprietários da Dell que torna difícil a manutenção quando termina o período de serviço.
A única coisa boa era o suporte que anteriormente eu ligava e numa chamada de 2 minutos eles mandavam o técnico que estava no local no dia seguinte mas como a Dell andou em crise tiveram de fazer cortes e merdas como migrar o call center de Portugal para a Roménia e evitar mandar o técnico para fazer a reparação eu perdia imenso tempo em chamadas, o processo de troubleshooting deles era frustrante, redundante e eu não compreendia um caralho do que eles diziam porque eram romenos a falar português que ainda estavam a aprender.
Caros, specs atrasadas no tempo, portáteis volumosos com design banheira, suporte merdoso. Não vejo qualquer razão para comprar Dell nos dias de hoje a não ser que por alguma razão gostes da estética e  aí tudo bem quereres ter um. De resto estás melhor a montar a tua máquina, até com peças usadas se quiseres economizar.
Outro tesão que não compreendo do /g/ são os thinkpad.
Design aguçado fode-me os pulsos ou começa a queimar quando tenho o processador a 100% e então não posso usar muito como cima colo, tenho de pousar em cima da mesa. Mas para ter uma máquina de mesa, então mais valia ter um mesa topo e ter velocidades de compilação decentes e não uma cena lenta por ser portátil.

Com isto tudo só sei que se eu um dia tiver uma empresa de certeza que o meu IT não vai comprar PCs montados, vão montar todos às peças e em vez de estarem a depender de suporte rápido, vão manter um stock de boas máquinas prontas a substituir sempre que uma máquina de alguém avariar, trocam-na instante. Também vou abolir os tickets, o IT vai ser ágil e vai interagir com os clientes e responder no instante. Iria também abolir todo o resto do lixo do ITIL, acabar com os níveis de suporte, confiar em todos os membros da equipa para fazerem o seu melhor que podem sem o necessidade de estar a controlar através de métricas e SLAs, acabar com os níveis de suporte e deixar que as pessoas decidam aquilo que são melhores a fazer e dar a liberdade para que todos possam inventar um pouco e tentar inovar. Acho que seria muito melhor coletar a métrica através de questionários de satisfação do que ter tickets para controlar o que cada um anda a fazer num estilo de gestão à antiga.
Eu antes de trabalhar com tickets trabalhava de forma "ad-hoc": As pessoas apareciam com os problemas e eu resolvia as merdas, tanto as pessoas quanto eu ficavam muito mais satisfeitas. Quando padronizaram e vieram com a merda dos tickets eu comecei a ter muito mais tempo livre, o meu chefe instruia-me constantemente para dar respostas rápidas a despachar os tickets para ter melhores métricas e como eu tinha uma SLA de 48h eu adiava o trabalho todo para depois porque tinha zero gosto em funcionar como um robô de processar tickets. Conclusão: A empresa começou a seguir padrões e era muito bonito na conversa da gestão mas toda a gente ficou insatisfeita lol e a ter mais problemas mas como isso não aparecia nas métricas estava tudo bem.

Tenho visto a mesma ineficiência do IT nas empresas por onde tenho passado, agora como "cliente" do departamento. Existe uma desconexão entre o departamento de IT, do resto da empresa e das suas necessidades a favor da padronização. Mas acho que devia haver mais gente a questionar se essa a padronização com o ITIL realmente tem algum valor para as empresas ou se foi apenas uma vigarice para vender certificações.

Desculpem o texto longo, precisava de desabafar
Respostas: >>7382
68f5c3d1577dbba96468(...).jpg
[Esconder] (22.2KB, 400x298)
Eu não sei danone... Tenho o meu gordopad que comprei usado há anos, fez-me a faculdade toda e ainda está aí para as curvas. Um dia destes vou buscar outro. 
<melhor teclado de portátil do mercado™
<cidadão de primeira classe em todas distros que usei até hoje
<funcionalidades enterprise como Gigabit Ethernet e slot para cartão SIM
<uma bateria substituível e doca®
<aptidão natural para andar em mochilas e tote bags aos trambolhões
<sente bem saber que se se foder, vou buscar outro igual por meia dúzia de dinheiros 
<asq quando te estás a cagar para se se risca ou parte 

>então mais valia ter um mesa topo e ter velocidades de compilação decentes e não uma cena lenta por ser portátil
Porque não usar um servidor de compilação? Eu concordo contigo, portáteis não são maquinas poderosas e ainda vou mais longe e argumento que não deviam ser. Devem ter ótimo teclado, rato, ecrã, bateria e todas essas coisas porque são o dispositivo com o qual vais interagir. Devem ser resistentes para andar por aí.
Respostas: >>7382 >>7383
>>7380
>>7381
Esqueci-me de quotar.
levelho.jpg
[Esconder] (102.1KB, 923x936)
>>7381
Tive 2 thinkpad e não fiquei satisfeito. O touch também é merdoso btw e eu era aquele gajo que a malta ficava admirado por não eu não rato para a maioria das coisas quando usava dell. A nível de resistência também consegui estalar o vidro de um com um pano, acho que tive um grande azar mas desde então que tenho medo de os manusear quando com os Dell era à porrada. O leitor de impressões digitais e a câmara são medíocres em comparação a um smartphone qualquer chinês de baixa gama.
Recebi há uns tempos um Cabron X1 mas ainda não tive a possibilidade de experimentar. Parece ser bastante decente, um i7 com 8 cores, 40gb de ram, uma rtx 3050 e 1tb de nvme. É um setup mais decente, quero ver como vai ser de conforto e de bateria.
Em termos de suporte de Linux, não me recordo da última vez que tive problemas com suporte, seja nos Dell ou nos que eu montei ao longo da vida, desde que apareceu o Ubuntu que foram poucas as vezes que tive problemas em instalar drivers.

>Porque não usar um servidor de compilação? 
Tenho um com 32c/128gb ddr, volta e meia uso quando é para compilar sistemas operativos inteiros e afins mas no dia-a-dia é difícil porque a rede da empresa é uma merda e nunca posso contar com o funcionamento da VPN
[Nova Resposta]
8 respostas | 4 ficheiros
A ligar...
Denunciar/Moderar

Acões:

Captcha:

Instruções
NotíciasRegrasFAQLegal/DMCASourceDoar

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.