/cyb/ - Cyberia

Tecnologia, computadores, programação e loucura


Nova Resposta
Nome
×
Opção
Assunto
Mensagem
Ficheiros 🖌️ Máx 4100MB total
Password
Especial
[Nova Resposta]


>>/sobre/ >>/css/


03adabe443c4c75c6dcb(...).webm
[Esconder] (15.3MB, 1920x1080, 01:16)
Digam comigo... 
ANO DO TOPODEMESA LINUX

https://www.theverge.com/2022/4/14/23025968/razer-first-linux-laptop-lambda-tensorbook-tensorflow
Respostas: >>7264
>>7263 (OP) 
Parece um portátil feito só mesmo para gente de informática da área de machine learning.
Respostas: >>7266
Acho que isso é um colotopo e não um mesatopo
>>7264
Serve para eles, serve para mim se não fosse mais de 3 mil euros...
Definitivamente não é para jogadores, o que é bom.
>Razer
E pro lixo vai.
>software pre-instalado
Que tipo de demente usa seja lá qual for a distro sojada que instalaram por padrão? Quem tem um monólogo interno dá cat /dev/urandom > /dev/sda antes de instalar o próprio sistema operacional com FDE.
Respostas: >>7270
>>7269
isso é paranóia máxima, cat /dev/zeros chega
Respostas: >>7349
>>7270
Usar o /dev/urandom esconde quanto espaço do disco está em uso quando você instala com FDE.
1f6ae85d31c3b53146c6(...).png
[Esconder] (450.5KB, 825x701)
Parece que há outro TOPODECOLO novo com o loonix... Será que está a pegar moda?
https://hpdevone.com/
Sinto a falta de um monte de merdas do Windows no Linux. 
A primeira é o paint e eu sei usar cenas como inkscape, krita e afins. Às vezes quero fazer edições rápidas de imagens e nunca encontrei nenhuma ferramenta tão simples e eficaz como o paint.
Photoshop e ClipStudio também sinto falta. O Krita é muito bom mas prefiro as outras duas ferramentas. Já tive alguns problemas de estabilidade com o Krita que me deixaram bastante aziados ao ter perdido horas de trabalho.
Para toda a suite do Office, especialmente o Excel, não encontro substituição. O Libreoffice é OK e tenho usado mas não se compara ao Office da Microsoft nem que se fodam todos.
Depois existem pequenas merdas que não consigo encontrar no Linux, a navegação por ficheiros é má e já experimentei todos os DE: KDE, Gnome, LXDE, XFCE. Acabei por ficar no Gnome3 que apesar de terem capado na personalização agora conseguem focar em fazer o essencial direito, achei uma boa ideia. Está perfeito? Não, mas de todas as experiências para Linux é de longe a melhor em termos de experiência de utilizador mas mesmo assim não tem a mesma fluidez do que no Windows e tem umas merdas que eu não consigo entender que é o caso de terem retirado a possibilidade de editar caminhos manualmente nas breadcrumb do nautilus (até o Windows permite isso no explorer). O Wine é a cagada que é, não estou a dizer mal dos dev daquilo porque é de complexo desenvolvimento por diversos motivos, mas não funciona direito. Pode funcionar, pode não funcionar, é imprevisível.
Acho que falta muito para o ano do Desktop no Linux se é que alguma vez vai vir a ser verdade, não me parece, mas também não me importa. Para o que faço o Linux serve-me melhor do que as alternativas.
Respostas: >>7453 >>7455
>>7452
>ele caiu no meme do loonix
muitos casos assim!
Respostas: >>7454
>>7453
Eh o loonix paga-me bem, estou a começar a compreender o sistema operativo: Threads, processos, alocação de memória, formas de comunicação entre processos, buffers partilhados, mutexes, etc. Ainda vou a um nível superficial e nem sequer no kernel vou mas já começo a perceber como é que a coisa está montada.
Antes disso eu tinha algumas noções de programar para a API do Windows XP e um pouco do 7, também conheço relativamente bem a forma como os processos e threads funcionam, apis do registo, eventos nas window handles, etc. seja por ter andado a explorar o Windows com as cenas do Sysinternals quanto por ter usado a API do Windows para fazer várias coisas que alteravam o sistema operativo.
Acho ambos sistemas operativos muito interessantes, ter passado do Windows para o Linux fez-me confusão inicialmente, custou-me a entender conceitos como não existirem drives, a ideia de tudo ser um ficheiro (nem tudo!), não haver tanto o recurso de eventos e coisas assíncronas, e do sistema de permissões.
Mas o Windows começou a fazer coisas muito chatas como telemetria forçada e updates forçados e eu simplesmente já estou demasiado velho para essa merda de andar em sites russos manhosos a sacar executáveis que vão ter permissões especiais no SO e nunca ter bem a certeza se a minha máquina está ou não comprometida porque é um SO complexo e tem muitos cantos escondidos, e de ter de andar constantemente a monitorizar os processos e serviços porque ter um anti-virus é pior que ter um virus.
Eu quero uma coisa que simplesmente funcione e o linux dá-me isso, tenho uma consola, browser e compilador. Não preciso de muito mais para ser feliz. Qualquer dia sou capaz de comprar um computador só para gayming.
ccc6538d21342b776bad(...).png
[Esconder] (109.5KB, 728x380)
>>7452
>A primeira é o paint e eu sei usar cenas como inkscape, krita e afins. Às vezes quero fazer edições rápidas de imagens e nunca encontrei nenhuma ferramenta tão simples e eficaz como o paint.
Tens várias, duas delas são o Pinta e o Drawing. Eu uso a segunda porque liga bem com o GNOME. 
>tem umas merdas que eu não consigo entender que é o caso de terem retirado a possibilidade de editar caminhos manualmente nas breadcrumb do nautilus
Basta fazeres CTRL + L, apenas funciona™.
>navegação por ficheiros é má
Eu pessoalmente acho o explorador de ficheiros do Windows 10 uma grande poia. É lento, tem milhares de botões que não sei o fazem nem vou descobrir, montar sistemas de ficheiros remotos é tão esquisito e retorcido, não tem integração digna com a nuvem®, é feio... Sei lá, aquilo dá-me nojo.

Não sei se entendo que queres dizer com fluidez mas algo de que estou cada vez mais convencido é que GNOME e mesmo KDE são melhores ambientes de topodemesa que os do MacOS e do Windows. O GNOME está pelo menos 5 anos à frente de ambos em termos de paradigma e de fluxo de trabalho. O do Windows faz zero sentido hoje em dia, precisa de mil cliques para tudo e a ideia de fazer muitas tarefas com milhares de janelas à balda é cagada. Adicionalmente, como traduzir essa ideia do início do milénio para ambientes virtuais não é algo muito evidente. É simplesmente um pesadelo usar aquilo, parece que ando sempre à procura das coisas e é tudo tão custoso e contra intuitivo... Não faço ideia como utilizadores avançados se safam. MacOS começa a dar demasiado trabalho, se não souberes os atalhos ou utilizares os gestos do trackpads não consegues fazer uma mão cheia de coisas e, depois, tem simplesmente coisas parvas como maximizar fazer as coisas ficarem em tela cheia. Como é que aprendes os atalhos e os gestos? Metes o esforço porque não há grandes indicadores visuais ou algo do tipo para te dar umas dicas e sim, isto é um problema de usabilidade porque deve ser intuitivo o suficiente para alguém aprender a usar de forma mais eficiente na jornada. O KDE por outro lado, é uma lufada de ar fresco num mundo onde não podemos meter nada ao nosso gosto... Até o Windows hoje te proíbe de mudar quase tudo. Não é para mim mas respeito muito a flexibilidade e percebo perfeitamente o terem escolhido para o steam deck. Talvez o janelas possas copiar, mais uma vez, a implementação deles para resolver a história dos ambientes.
Estou genuinamente convencido que a história de Windows e MacOS serem mais fáceis em termos de usabilidade é só o nosso cérebro de macaco a recolher os frutos da familiaridade. Se és ensinado a cagar sentado numa sanita, custa-te cagar de cócoras. 
Eu genuinamente já não consigo usar janelas, pareço um avô perdido e usei durante uns 10 anos da minha vida. Nunca vou conseguir voltar mas também tenho a sorte de não estar dependente da máfia criativa nem das coisas avançadas do Office e poder-me dar ao luxo de trabalhar com as merdas de desenvolvimento da microsoft e da apple.
Respostas: >>7456
>>7455
És o danone que eu venho para aqui falar mal das merdas e me aparece com soluções? Tenho usado o deactivate do venv.

>Basta fazeres CTRL + L, apenas funciona™.
Lembro de que na altura que andei a procurar isso não havia, foi muito chato. Acho que o GNOME cometeu o erro de cortar funcionalidades em excesso. 
Na minha experiência é mais fácil ser rápido no explorador do Windows, os atalhos funcionam direito, e pet peeve enorme: o texto dos ícones dos ficheiros e pastas fica bem alinhado e desenhado. O Nautilus não faz isso direito e eu não sei explicar mas gatilha-me o OCD essa merda.  Quando digo fluído estou a falar em termos gráficos, o explorer responde melhor quando estou a trabalhar rápido, não consigo usar o Nautilus de forma tão ágil e por isso recorro quase sempre à linha de comandos.
O Windows é uma grande poia na organização, e com o Metro está a ficar pior na minha opinião. Eu vejo-me à rasca para configurar uma rede: Posso fazer parte pelo metro, parte pela interface antiga, tenho de ir ver ao Google porque nada está nos sítios onde eu iria estar à espera de estar e a experiência não é consistente que alguém possa simplesmente começar a trabalhar. O Windows é um sistema operativo complexo, que até programar para é mais difícil em comparação ao Linux se estiveres a programar diretamente para o SO mas dá dinheiro e com dinheiro contratas programadores que tratam de fazer o que é necessário para trazer novas funcionalidades.

>Não faço ideia como utilizadores avançados se safam.
Pergunto-me o mesmo, um dos meus amigos mais próximos era sysadmin numa grande empresa e conta-me algumas coisas. Diz que antigamente eram scripts de vbs, gente com algumas skills em Windows para interagir com o Windows, geralmente componentes do Active Directory, fazia algumas automações por ali. Hoje em dia fazes a gestão das redes por GPO e scripts de powershell, consegues fazer coisas potentes com ps, diria até mais potentes do que com bash ou outra shell do Linux, pois pelo que entendo é uma linguagem de programação quase completa e não um hack de milhares de executáveis colados com fita cola para fazer algo que se assemelha a uma linguagem de scripting.
Respostas: >>7457
abs.jpg
[Esconder] (31.4KB, 480x451)
>>7456
Dei submit antes de terminar de escrever e continuo sem saber como resolver a captcha, vou continuar aqui.
Ele faz muitas merdas em powershell, algoritmos complexos de desafios de programação tipo advent of code. Há imensas formas de interagir com o sistema operativo por power shell. Containers é docker e cada vez tens mais coisas Linux no Windows com o WSL, acho que também é comum os users mais avançados usarem coisas do .net, especialmente C# que é uma cópia do Java. Começa-se a usar muito package managers como o chocolatey mas a maior parte das instalações é à moda antiga de correr o executável.
MacOS não conheço nada, tenho a ideia que é uma espécie de BSD com uma UI excelente e muito mais polido do que Gnome mas Apple não é para mim pelo tipo de práticas comerciais. O pessoal que usa Apple fica meio fanático e eles exploram muito isso, depois há merdas de forçar protocolos, conectores, standards e afins da Apple para não conseguires sair do ecossistema deles, podem ser muito bons que para mim fazem isso e podem ir para o caralhinho que eu não compro nada deles.

>MacOS começa a dar demasiado trabalho, se não souberes os atalhos ou utilizares os gestos do trackpads não consegues fazer uma mão cheia de coisas e, depois, tem simplesmente coisas parvas como maximizar fazer as coisas ficarem em tela cheia. Como é que aprendes os atalhos e os gestos? Metes o esforço porque não há grandes indicadores visuais ou algo do tipo para te dar umas dicas e sim, isto é um problema de usabilidade porque deve ser intuitivo o suficiente para alguém aprender a usar de forma mais eficiente na jornada.
Isto aposto que é alguma tática da Apple para fidelizar utilizadores, metem-te a decorar essas merdas todas e a ficar pro no sistema operativo deles se queres ser fixe e obriga-te a ser fã e estar sempre a acompanhar essas coisas.

>Estou genuinamente convencido que a história de Windows e MacOS serem mais fáceis em termos de usabilidade é só o nosso cérebro de macaco a recolher os frutos da familiaridade
Muito isso!

Não me importava de voltar a usar o Windows só pela GUI, ia fazer todo o resto em WSL2 e máquinas virtuais. Assim também conseguia jogar de vez em quando e usar apps pirateadas da máfia criativa, mas não confio nada na segurança daquilo. Com a Telemetria estão a vazar dados constantemente na minha máquina, queria ter um diário e notas pessoais e pensava duas vezes porque mesmo que muito provavelmente não vá ninguém ler e ninguém quer saber, não fico confortável a saber que podem vazar as teclas que eu carrego e os meus pensamentos mais íntimos para os servidores deles. Não é fixe ter uma máquina comprometida à partida. Com o Linux a máquina é verdadeiramente minha
Respostas: >>7458 >>7459
>>7457
>continuo sem saber como resolver a captcha
O TERROR DOS CEREBOLETOS
e1a1772ff50289ece921(...).mkv
[Esconder] (664.1KB, 320x240, 00:31)
>>7457
A tábua está com captcha?
Não devia. Os números até ser ligada também estão bastante altos.
Editado por Escondido
Respostas: >>7460
>>7459
Ele está-se a referir a querer apagar o post porque não o fez completo, lol.
Respostas: >>7461
719a2f0757a2484bc0bf(...).webm
[Esconder] (7.6MB, 854x480, 01:59)
>>7460
Ah, já entendi, lol. 
Li na diagonal e o meu cérebro teve uma entorse.
[Nova Resposta]
17 respostas | 6 ficheiros
A ligar...
Denunciar/Moderar

Acões:

Captcha:

Instruções
NotíciasRegrasFAQLegal/DMCASourceDoar

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.