/con/ - consultório

nunca serás uma adolescente


New Reply
Sage
X
Message
Files Max 4 files100MB total
Password
[New Reply]


213 544 545 / 912 802 669


transferir.jfif (u)
[Hide] (11.5KB, 318x239)
Atualmente estou a trabalhar num hotel como porteiro, não tenho quase vida social, nem tempo para mim ou para a minha família.
Recebi uma proposta para trabalhar num armazém do Pingo Doce, sendo que o trabalho também é por turnos.
O salário é exatamente o mesmo.

O que acham melhor?
Replies: >>221
113af9bbe51e2f1579b7f42e79090ea9c88cfbffef4373e2bb4deda2920ab77e.jpg (u)
[Hide] (33KB, 711x474)
Porteiro parece bem mais comfy.
De alguém que já trabalhou em armazéns, não faças isso à tua vida. Pela minha experiência é um grande espetáculo de merda.
Replies: >>218
JB responde ao outro post eu sei que és tu
>>216
Como porteiro, estou 9 horas de pé, ao sol ou à chuva.
Só me sento quando vou estacionar carros.

Podes me contar o motivo de o trabalho de armazém ser mau?
Replies: >>219
>>218
Eu imagino que quando dizes armazém do pingo doce estás a falar do armazém de distribuição regional para os supermercados, o que (sem me querer doxar) é ligeiramente diferente do que trabalhei mas a moral da história é: a gestão era tão mal feita que demorava o dobro do tempo a fazer o que era necessário e esperavam que ficasse mais tempo para compensar isso. Por exemplo, metade das vezes andava a tirar paletes de um lado para o outro para chegar ao que precisava, levava na cabeça por o estar a fazer e não havia realmente uma alternativa. Ninguém, dos chefes, conseguia perceber este conceito ou se percebiam não queriam saber. Havia semanas em que não dava para andar naqueles corredores e era esperado fazer as coisas funcionar magicamente. Outra coisa é que eu metia-me em situações que, considerando agora que estou mais velho, eram meio estúpidas. Como por exemplo, trepar às prateleiras para ver se algo estava lá ou usar a empilhadora de formas absolutamente retardadas. Isto em retrospectiva podia ter dado merdas muitas vezes mas pronto, é um trabalho perigoso. 
Epá, talvez não sejam motivos suficientes para te desencorajar, afinal de contas todos os chefes são merda e também não somos meninas para ter medo de nós aleijarmos mas pronto, era bastante precário.
Replies: >>220
>>219
Sim, isso da chefia acaba por ser quase sempre a norma.

Como era em termos de horário?
Conseguias ter vida?
E davam-te as horas do banco de horas?
Tinhas de ficar muitas vezes até tarde?
Replies: >>222
47.webm (u)
[Hide] (2.2MB, 1280x720, 00:02)
>>215 (OP) 
Trabalhei num armazen do lidl
absolutamente terrivel
>>220
Eu comecei em tempo parcial e entrava às cinco da manhã, depois (para poupar dinheiro em horas noturnas) passei a entrar mais tarde (acho que às 7) com mais uns quantos e tínhamos de deixar as coisas meio que preparadas antes de sairmos para os outros gajos se conseguirem orientar. Eventualmente, passei a tempo inteiro. Nunca trabalhei por turnos. Saia quase sempre 45 minutos ou uma hora mais tarde e nunca contabilizaram isso. Talvez por ser puto deixei-me comer de cebolada aqui. 
Esticão era quando tínhamos de fazer inventário, aí todas as horas eram contabilizadas mas cheguei a ficar 18 horas no armazém mas isto eram eventos esporádicos.
Nos primeiros meses saia completamente destruído, só dormia depois. Ao fim do período de adaptação, estava fixe, só era chato para um puto não poder sair a noite com os rapazes porque as folgas eram rotativas. 
Tu estando por turnos, pode mudar muito este último aspecto mas como nunca trabalhei assim não te sei dizer.
Replies: >>223
>>222
Obrigado, anon!
Conseguiste orientar a tua vida depois?
Replies: >>224
>>223
Meh, estou melhor agora mas não é difícil. Foi uma altura meio negra da minha vida mas isso e outras merdas em que me meti mudaram completamente a minha visão do mundo e a partir daí foi sempre a subir. Vamos ver qual é o limite superior.
Eu trabalhava desde 2019 numa cadeia hoteleira internacional (como financeiro, sou formado em contabilidade) fui dispensado em Abril passado e lembro-me que na altura saiu muita gente também e aquilo ficou reduzido a uma tripulação esqueleto: dado que as coisas ainda vão piorar mais sem os bifes e os boches em porcogal, duvido que a tua empresa te vá manter aí durante muito mais tempo, sobretudo num sub-emprego fácil de estourar como bagageiros/porteiros.

Obviamente que trabalhar num armazém deve ser uma merda, mas a Jerónimo Martins tem fama de ser uma empresa séria em termos de pagamentos e direitos e mais que isso, dá te a possibilidade de ires avançando internamente para outros cargos através de vagas específicas para colaboradores: tens de avaliar pelo que os anões aqui te dizem e ver se é uma merda que te interessa.

Pá, eu só estive dois anos nesta empresa e garanto-te que Hotelaria é um sector de merda para se trabalhar e praticamente toda a gente hoje em dia sabe isso, vai ser o próximo sector económico depois da agricultura a viver única e exclusivamente de escravos imigrantes bostileiros ou nepaleses.
la_vida_neeta_loca.gif (u)
[Hide] (306.7KB, 200x200)
No teu lugar, assumindo que tens um ano de descontos e vives em casa dos pais, cagava nos dois sítios e falava com os atuais chefes e propunha-lhes uma saída "amigável" em mútuo-acordo sem indemnização pecuniária para conseguires ir buscar o subsídio e usar para fazeres uma formaçãozita ou simplesmente #ficaremcasa.

Neste momento, praticamente 90% do trabalho disponível é sub-emprego precário e com o covides a coisa fica ainda pior, mais te vale mamares o dinheiro durante uns tempos a ver no que isto dá.
[New Reply]
11 replies | 4 files
Connecting...
Show Post Actions

Actions:

Captcha:

Instructions
NotíciasRegrasFAQLegal/DMCASourceDoar

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.