tudo b br int a c des fit pol t v meta

/a/ - Anime / Manga

Nome
Opção
Comentário
Ficheiro
Áudio Abrir gravador
  • Lê as Regras e o FAQ antes de participar.
  • Voltar  Arquivo 

    1584915533081.jpeg  (127,19 KB, 473x709) ImgOps

     /#/ 2228

    Existe muitas coisas que não percebi no anime como por exemplo...Nós sabemos que Kira era um psicopata, que matou inocentes só pra se mostrar o melhor, usando as pessoas erradas. L é o melhor no confronto entre eles os dois, pois no caso KIRA trabalhou praticamente sozinho , e no geral foi Light quem precisou de ajuda.
    Acho que isso não torna "Kira" melhor. Mas independentemente disso, queria saber tipo ouve uma altura em que Light e L estavam a jogar ténis, e durante o jogo, L descobriu que Light era o Kira, ou seja, trazendo isso para uma perspectiva real, acho que é impossível descobrir uma identidade assassina de uma pessoa num mero jogo.
    E no episódio 1 quando L ameaça Light do falso L (Lind L.Taylor) Light cai nessa armadilha, fazendo-se desmascarar no caso .Ou seja, o anime podia parar em 12 episódios, perfeitamente legítimos, sendo não necessário Near e Mello. Também acho que a Misa foi uma personagem secundária que apareceu só para dar vida ao anime e dar aquele toque "sexy", porque no geral o anime é uma espécie de rivalidade entre Light e L, não era preciso na minha opinião tantos episódios para provar isso. No entanto acho que, como o anime fez tanta fama penso que os 37 episódios encaixam bem no puzzle, porque existirá sempre pessoas (público-alvo) do lado do Light e pessoas (como eu) do lado do L. Também acho que L não devia morrer no anime, porque a história baseia-se na justiça e eu acho que justiça não é matar os nossos amigos ou entes-queridos porque isso não faz sentido.

     /#/ 2229

    >este fio
    Foi autismo?

     /#/ 2230

    1584916319346.jpg  (345,53 KB, 1333x2000) ImgOps

    /Booty Note/

     /#/ 2231

    1584916545487.jpg  (293,14 KB, 2048x1436) ImgOps

    Ok, vou responder a sério.
    Já não vejo Death Note desde ~2015 ou qualquer coisa. Vi a série umas 3 ou 4 vezes.
    O Light não era um psycho, apenas tinha um sentido de justiça forte e queria melhorar o mundo. Veio a enlouquecer mais tarde (poder corrompeu-o).
    E sim, a série podia ter acabado mais cedo, mas mesmo com os 3 cours que teve foi uma boa história.
    E sim, o L é o meu favorito.
    Cumps

    Sorte: Má sorte

     /#/ 2232

    1584923720122.gif  (951,9 KB, 320x240) ImgOps

    Eu também vou responder a sério.

    Eu vi esta merda em 2009 e até hoje foi a única anime em que eu adormeci a meio, e isto ainda antes do L ter morrido.

    O problema de Death Note é como a manga é feita no Japão.
    Um mangaka tem uma ideia, uma premissa básica e manda um rascunho para um editor.
    O editor decide se aceita ou não, se sim, obriga o mangaka a fazer as modificações que ele acha que os leitores vão gostar.
    A história fica assim igual a todas as outras que já se fizeram e vai ter muito sucesso porque os japocas são básicos como o caralho.
    Mas passados 3 capitulos o mangaka fica sem imaginação para mais e história começa a descambar para a nojice completa com falhas de enredo e personagens que ignoram a sua própria personalidade ou as regras criadas pelo próprio autor. Um desatino.

    No caso em questão, logo ao principio o Light determina que seria relativamente fácil para as autoridades apanhá-lo e por isso tem de ter cuidado.
    E o que é que os cabrões dos mangakas puseram o Light fazer? Matar o polícia que o estava a seguir. Porquê? Porque sim! Completamente oposto ao comportamento que o Light tinha tido até então. Brilhante!

    Mais, Quando a namorada desse tal polícia, uma gaja que o próprio L disse que era muito inteligente e competente, procura o pai do Light para lhe reportar as suas dúvidas, o que é que os cabrões dos mangakas a poem a fazer? A contar tudo ao primeiro adolescente que encontra (o Light) só porque ele lhe diz que é filho do bófia que está a orientar a caça ao Kira. Fodace!

    A partir daqui perdi interesse e só continuei a ver porque em 2009 esta ainda era uma das anime mais famosas e eu precisava de saber a história para comentar nos fóruns.

    A cena como o Light perdeu a memória e depois a recuperou, foi tirada dum sítio que não vê o sol.

    Todos os personagens criados depois da morte do L foram só para encher chouriços.

    Mas a cena que mais me irritou foi o jogo de ténis. Eu já joguei ténis com calças jeans. É fodido! É impossível de ganhares ao campeão nacional junior de ténis. O que é que os cabrões dos mangakas poem o L a fazer? A ganhar ao Light. PQP!

    Death Note é uma telenovela chicana do bem contra o mal em versão shonen para retardados japocas. Vale um traque e meio e isto porque me sinto generoso hoje.

     /#/ 2233

    A premissa da Misa foi interssante para dar profundidade ao plot ao haver 2 death notes e o contacto com os olhos dos shinigamis, não acho que tenha sido descabida ou só para dar o toque sexy.
    Nao me lembro da parte do jogo de ténis, mas fiquei com a ideia de que em vez do L descobrir que ele é o Kira, apenas estava tão imersivo naquela suspeita para avaliar todos os comportamentos dele como sendo do Kira.

    >>2232
    A cena do Light perder a memória tambem acho que foi uma boa adição para a profundidade no sentido de fazer o Light ter um bode expiatório e poder agir como se nao soubesse nada.

    Nao quero chupar a pila a DN, tal como o anon disse, a parte da namorada do policia deitou por agua abaixo toda a legitimidade do plot subsequente. Mas como fagote de jogos mentais e de xadrez 4D, esse anime é capaz de ser dos melhores feitos para o efeito

     /#/ 2234

    >>2230
    A irmã é mais bonita.

     /#/ 2235

    >>2234
    Baseado e paula-pilado

     /#/ 2236

    >>2228
    Oi. Este anime é da geração dos autistas e como tal é produto dela.

    É um reflexo das palavras do Miyazaki sobre a geração de animes mais recente: "feito por e para pessoas que não gostam de outras pessoas."

    A personagem principal, o Kira, é uma pessoa dessas. Um parasita da sua família, focado nos estudos, cujo o input sobre o mundo é apenas a aprovação das pessoas com as quais é obrigado a lidar. Logo não sabe nada sobre o mundo.

    O L é um orfão. Criado para ser o oposto. Mente aberta a qualquer possibilidade.

    O L deduz que o Kira é o assassino, mas apesar do L ser aberto par ao mundo, nunca imaginaria o sobrenatural ser uma realidade.

    Era essa a peça que faltava e a qual ele precisava de encontrar.

    A ironia está no facto do autista que não sabe nada sobre o mundo natural, Kira, ser quem recebe o dom do sobrenatural.

    É desse conflicto que resulta a história.

     /#/ 2237

    O Light como protagonista não é necessariamente um herói e ele prova-o no primeiro episódio. Para ele não lhe chega tomar uma posição ativa contra o crime violento; após cinco dias com o Caderno ele escreve centenas de nomes e declara-se como o “”Deus do Novo Mundo””. Jurando abater quem tentar meter-se no seu caminho.

    É uma causa nobre mas corruptível. Basicamente é como o ideal comunista.

     /#/ 2238

    >>2236
    Já que falas no L, porque é que ele fica tão chocado ao descobrir que existem shinigamis (Deuses da morte).

    Porque o sobrenatural coloca um obstáculo ao equilíbrio da hierarquia de que ele se coroou rei.

    Os deuses da morte operam por regras completamente diferentes das dos seres humanos, física e psicologicamente falando. Uma vez que ele reconhece que está a lidar com forças além de sua compreensão, torna-se claro que os shinigami são apenas mais um desafio para ele encaixar na sua visão do mundo.

    O Ryuk, (o shinigami companheiro de Light) é o mais honesto de todos os personagens de death note. Ryuk pode ser deliberadamente evasivo ou obtuso, mas ao contrário dos humanos que conhece, ele nunca conta uma mentira direta. O seu motivo para droppar o Death Note no mundo humano é evidente desde o início: >”Eu fiz isso porque estava aborrecido.”

    É mau permitir que uma arma mortal caia potencialmente em mãos más?

    Talvez, mas chamarias os donos de lojas de armas maus? Tudo o que eles fazem é responder ao que o mercado exige.

    A diferença é que o Ryuk quer causar problemas de forma deliberada. Os humanos mais "interessantes" são aqueles que fazem uso prolongado e criativo do Death Note, e aqueles que se levantam para desafiá-los. Ryuk desencadeia a morte de milhares - talvez centenas de milhares. Mas ele não se esconde atrás de ideais ou princípios. Haverá outras vidas, e enquanto eles fizerem coisas interessantes - e lhe derem maçãs - ele ficará contente em vê-las serem destruídas. Ele será o primeiro a admiti-lo.

    Pode parecer um paradoxo, mas há uma integridade inegável nesse tipo de moralidade.

     /#/ 2239

    Wut?
    Light não era uma psicopata, ele tinha um senso de justiça muito extremo, é por isso que ele queria ser detetive ( e ajudou o pai dele em múltiplas investigações antes de receber o death note).
    Quando o Light matou o Lind l taylor, caiu na armadilha do L, e a partir de agora ele sabia que só conseguia estar em paz se mata-se o L, e por isso é que ele deixou o L aproximar-se dele ao "cair" na armadilha dele ao usar informação que a polícia só tinha acesso( o que fez o L investigar familiares de polícias) e também de matar o detective que estava a investigá-lo (Ray Penber) , o L no início não suspeitou do Light porque Ray Penber matou todos os investigadores da CIA e só foi com o assasinato da mulher dele por para do Light que ele finalmente percebeu que Light era o maior suspeito.
    E depois viste o que viste,L e Light a conhecerem-se e o Light a perceber que se o mata-se toda a gente iria suspeitar dele. Depois aparece o segundo kira e a cena complica-se.
    basicamente houve muitas oportunidades para Light ganhar mas L tinha uma plot armor grande inicialmente.

     /#/ 2248

    >>2239
    Não se percebe como é que um jovem de 18 anos num dos países mais seguros do mundo tem tanta raiva com criminalidade e injustiça



    Voltar[Resposta rápida]
    Apagar Comentário [ ]
    tudo b br int a c des fit pol t v meta